BLOGGER TEMPLATES - TWITTER BACKGROUNDS »

domingo, 27 de julho de 2008

2. Trágico (Bittersweet World)

Sinto uma conspiração. Algo como um complô se formando ao meu redor.
Sinto que vou levar o bote e morrerei lentamente com seu suave veneno.
Por que a necessidade de enaltecer o ego humano sempre tem que atrapalhar tudo?
Chega de mentirinhas e dissimulações, seja humano. Fale na cara. E se eu for tão humano quanto eu acho que sou, aceitarei isso. Pois temos o direito de livre expressão.
Trágico é saber que por trás de risos e conversas há alguém assim como você. Trágico é acordar todo dia e saber que estou rodeado de pessoas como você. Trágico é não poder fazer nada com relação a isso. Trágico é ter que conviver todos os dias com pessoas assim.
Eu queimo todos os meus vícios. Eu recuso toda a sua ajuda. Daqui por diante quero andar com minhas próprias pernas. Quero ser reconhecido.
Quero ser descoberto. Quero ser amado e poder amar na mesma proporção. Se você quer ser 'tudo', então seja sozinho. Pois para mim, ser tudo é ser nada.
Os hipócritas apontam dedos, com três dedos apontados pra si próprios.
Todos estão disfarçados, até mesmo você e eu. Diante da fachada tentando se dar bem. Porém eu descobri que quem brinca com fogo, acaba queimado. E eu não quero me queimar. Não de novo. Por isso eu paro por aqui, exigindo minha resposta.
Eu encontrei minha saída. E você nunca me machucará novamente.

The world under my feet... it tastes so bittersweet.

2 Manifestações:

Filipe Pujol disse...

eu poderia dizer isso a alguém... alias eu tinha que dizer... me falta coragem ou saber como dizer...
mas a pessoa jah está esperando
ps. texto ótimo

Gisele Boltman disse...

"Os hipócritas apontam dedos, com três dedos apontados pra si próprios."

De quem é esssa frase, Querido?
Ela precisa ir para o meu scrapbook!

Impecável esse texto,
Gostei demais, parabéns!

- E a esperança dos poetas vive, nas poesias dos outros poetas.
E revive,
Na leitura interessada dos amantes da poesia.



Vou adicionar seu blog aos meus links, faça o mesmo.

Beijos...